Olhando a Maré - Jornal Cruzeiro do Vale

Por Herculano Domício

18/09/2021

Infantil até na moda I

No papel, na lei e na marquetagem política, Gaspar é oficialmente a Capital Nacional da Moda Infantil. No mesmo conceito político já era reconhecida como tal no âmbito catarinense . O que é motivo de orgulho e comemoração. Eu concordo. Aplaudo. Entretanto, não sou nenhum tapado até porque fui, sou, conheço e me atualizo nesta área do marketing institucional ou corporativo. E por quê escrevo isso? A oficialidade do título nos leva também a uma obrigatória reflexão. E não vou longe. Fico aqui na vizinha e menor do que nós na pujança econômica, Ilhota. Sem títulos, sem salamaleques, sem politicagem, sem padrinhos, sem estudos, ela é - até agora - verdadeiramente, a Capital da Moda Íntima. E o reconhecimento é nacional. O mesmo que faz Brusque no Sul e Sudeste ser um destino aos seus shopping populares de confecções quase todos na rodovia que vai dar a Itajaí.

Infantil até na moda II

O que faz Ilhota ser a Capital da Moda Íntima? Uma vocação natural, nascida na sobrevivência, bem como a qualidade, criatividade e diversidade dos produtos, a união de fato e informal dos pequenos e principalmente à existência de um local concentrado de exposição e comercialização: a antiga rodovia Jorge Lacerda. O que acontece com Brusque? Praticamente a mesma coisa. É o mesmo fenômeno, guardadas as devidas proporções, as diferenças e focos, que fazem o Braz, a Ferinha da Madrugada, o Bom Retiro entre outras em São Paulo serem também destinos e marcas nacionais na mente das pessoas naquilo que precisam, distribuem e consomem.

Infantil até na moda III

Os títulos oficiais na Assembleia Legislativa e no Congresso Nacional não bastarão a Gaspar como reconhecimento de fato em resultados para a cadeia de criadores e produtores da moda infantil. Será preciso muito mais do que isso: transformar a ideia, a oportunidade e a oficialidade em realidade. É muito pouco o querer do político de tomar para si algo que não é dele, muito menos a associação de classe criar um selo que não usa para diferenciar seus associados e produtos, salientando o valor agregado aos bens e tendo regras claras de reconhecimento e qualidade nos produtos diferenciados que produz em Gaspar e vende mundo afora. O que se criou foi um conceito imaginário. Entretanto, ele por si só, não vinga, não prospera e não dá retorno. Luiz Alves é a terra da cachaça, mas a cachaça premiada, a que atrai e cobra mais por isso, está em Gaspar. Luiz Alves, abriu os olhos e corre atrás. Sabe que está no prejuízo para a imagem que tinha.

Infantil até na moda IV

Repito, iniciativa nota dez. Contudo ninguém até agora foi capaz de apontar um só resultado prático disso tudo a não ser dos políticos da vez se apropriando de uma matéria técnica e séria para levar vantagens eleitorais - e quem sabe já em outubro do ano que vem. Neste momento, é preciso estruturar mecanismos técnicos e de comunicação para que esse título seja verdadeiramente reconhecido pelo público consumidor e de que se trata de um produto de origem, diferencial, criativo e disseminador de vantagens não só para os compram, mas, principalmente, para os que o comercializam. Isto requer investimentos - que não são poucos - e inteligência. Exige, que se pratique o verdadeiro marketing e não a marquetagem que assola e nos assombra no mundo político local. Gaspar, na moda infantil precisa ser uma marca e para começar, precisa de um espaço onde ela esteja física e virtualmente exposta e disponível com seus diferenciais. Acorda, Gaspar!

TRAPICHE

Como funciona o descontrole e o desperdícios na administração de Kleber Edson Wan Dall, MDB. No dia nove deste mês, o secretário de Assistência Social, Salésio Antônio da Conceição, assinou a dispensa de licitação 25/2021 no valor de R$100.900,00.

É para abrigar o CREAS - Centro de Referência Especializada em Assistência Social - (R$7 mil mensal de aluguel, R$ 1,3 mil de condomínio e outros R$1,3 anual de IPTU). Este local, está desde dezembro de 2020 interditado para obras de “adaptação”. O CREAS está funcionando provisoriamente no Centro do Idoso.

Outra vem do Samae. Uma Amarok foi para a oficina. Gastará R$15 mil. Segundo os entendidos, o veículo comprado em 2019 estaria na garantia se tivesse feito as revisões na concessionária. Não se fez. No que que arruma os veículos para o Samae, espetou o orçamento não contra a Samae, mas contra os que pagam água e impostos. Ele está certo. Os errados estão protegidos.

No blog www.olhandoamare.com.br - o mais acessado, sem ferramenta e grana para impulsionamento, bem como patrocínios de políticos, governos e empresas - mostrei - mais uma vez - o estado lastimável da recém inaugurada praça do Sertão Verde. Nem os entulhos e desperdícios das obras foram capazes de retirá-los de lá depois da darem a praça como pronta.

Semana Nacional do Trânsito vai deste sábado 18 até o outro 25. O tema deste ano é pedestre e ciclista. Como nos anos anteriores, em Gaspar, a Ditran será uma espectadora. Como nos anos anteriores, depois de ler aqui que está dando vexame, as pressas fará um banner para colocar na praça Getúlio Vargas.

Outro puxadinho. O Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público de Gaspar - Sintranspug - teve o mérito de não esquecer que oito de setembro se comemorou o Dia Internacional da Alfabetização. Mas, resolveu politizar: fez um vídeo com a vereadora e ex-secretária de Educação, Zilma Mônica Sansão Benevenutti, MDB.

Zilma foi a que antes da pandemia permitiu a queda do Ideb - Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Ou seja, tem pouco a falar sobre alfabetização.

E a falta da passarela de pedestre na ponte do Alvorada inferniza os motoristas há quase um ano. O prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB, e seus “çabios” debocham dos seus eleitores. E pelo jeito, eles estão gostando de ficarem trancados no trânsito naquela região. Acorda, Gaspar!

 

 

 

Edição 2020

Comentários

Herculano
19/09/2021 08:30
No blog www.olhandoamare.com.br que você pode acessar do seu celular, tablet, ou desktop, ou ainda do link acima, você vai saber o que pensa Douglas Junkes, o idealizador do título de Gaspar ser a Capital Nacional da Moda Infantil

Você terá outros comentários sobre o cotidiano de Gaspar e Ilhota, de quem não tem o rabo preso com políticos e poderosos, pois não depende de patrocínios e verbinhas do toma-lá-dá-cá da prefeitura, políticos e empresários. Um blog que não usa ferramentas e grana para você lê-lo obrigado. Acorda, Gaspar!

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.