Artigos - Jornal Cruzeiro do Vale

Protetor solar é fundamental para saúde da pele

Por dra. Simone Neri, dermatologista

Os raios UVA e UVB produzidos pelo sol representam 95% da radiação que atingem o corpo e penetram profundamente na pele. O efeito cumulativo dessa radiação provoca o surgimento de pintas, sardas, manchas, rugas e até tumores benignos ou malignos. Para evitar tais problemas, o ideal é se proteger com um bom protetor solar, que tem a função de impedir que os raios ultravioletas emitidos pelo sol penetrem nas camadas mais profundas da pele.

Devido a substâncias refletoras, chamados filtros físicos fazem com que a pele não absorva os raios. Já nas formulações químicas, a atuação dos ingredientes é mais complexa. Quando os raios atingem o corpo, encontram moléculas do produto que absorvem a energia do Sol. Essa absorção agita as moléculas, que ficam em estado de excitação, voltando em seguida ao estado natural. Esse mecanismo faz com que a pele receba uma fração de energia solar menos agressiva e reflita o restante. Para que isso aconteça, existem dois fatores de medição de proteção solar: FPS e PPD.

O FPS diz respeito ao filtro dos raios ultravioleta do tipo B, que são os raios que o sol emite e que causam aquela aparência mais vermelha na pele e queimaduras solares. Já o PPD, é o fator de medição da proteção contra os raios ultravioleta A, que são os raios emitidos pelo sol e, que penetram profundamente na pele causando danos progressivos. Eles são os responsáveis pelos danos à longo prazo nas células e, também, ao temido câncer de pele. Portanto, quando você for escolher um filtro solar observe os fatores FPS e PPD. Eles devem ter no mínimo FPS de 30 e PPD 4. Porém, se você tiver pele clara, de preferência aos filtros com no mínimo FPS 60 e PPD 8.

O produto deve ser aplicado ainda em casa, e reaplicado ao longo do dia. Se você estiver em ambientes fechados e não estiver transpirando muito, os filtros podem ser reaplicados a cada 4h. Em ambientes abertos e com transpiração, aplique a cada 2h. Se estiver se banhando na piscina ou mar, reaplique o protetor sempre que sair da água. O ideal é aplicar o equivalente a uma colher de chá rasa para o rosto e três colheres de sopa para o corpo. O filtro solar deve ser usado todos os dias, mesmo quando o tempo estiver frio ou nublado, pois a radiação UV atravessa as nuvens.

É importante lembrar que usar apenas filtro solar não basta. Também é preciso complementar as estratégias de fotoproteção com outros mecanismos, como roupas, chapéus e óculos apropriados. Ao ar livre, procure ficar na sombra e evite se expor ao sol entre 10h e 16h, quando a radiação UVB é mais intensa. Também é importante consultar um dermatologista regularmente para uma avaliação cuidadosa da pele e indicação de produtos mais adequados.

 

Edição 2038

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.