Lista telefônica

Artigos - Jornal Cruzeiro do Vale

A criança que brinca, o adolescente que ousa e o adulto que empreende

23/06/2017 09:43
Por Leo Fraiman, psicoterapeuta, escritor e palestrante. Mestre e especialista em Educação pela USP.

Já reparou como é gostoso observar crianças brincando? Parece que o tempo não existe para elas, não é mesmo? Seus gritinhos, a facilidade como caem e levantam, a alegria com o simples abraço do coleguinha ou o encanto de um som inusitado de um pássaro que voou perto delas.

Ao brincar, a criança exerce sua criatividade livremente. Ela experimenta gostos, prazeres, sons, cria imagens e até com os aromas ela faz experiências que a entretêm.

O exercício de brincar e criar, porém, não é um mero passatempo. É um dos exercícios mais importantes que fazemos na vida. Por meio destas atividades aparentemente simples, aprendemos a inovar, a encontrar soluções, a viver novos papéis, a lidar com as frustrações, a formar laços e com isso, áreas do nosso cérebro relacionadas à capacidade de tomar decisões, à memória, ao raciocínio lógico, à antecipação de consequências e até aquelas ligadas à empatia e à inteligência emocional são desenvolvidas.

Uma maneira de estimular estas atividades aparentemente simples é promover a interação da criança com livros e brinquedos e/ou brincadeiras. Não por acaso, grandes empresas entendem a importância e estimulam essa ação. Um belo exemplo que concretizou estas ideias foi a campanha “Ler e Brincar” realizada pela empresa McDonald’s, cujo objetivo é estimular a criatividade e a imaginação das crianças.

Não seria um exagero dizer que o cérebro como um todo é aprimorado com o brincar e o criar. Infelizmente, porém, diversos fatores têm conduzido a uma redução nesta importante atividade humana. Um estudo baseado em testes da NASA nos dá números chocantes: aos 5 anos de idade, 98% das crianças se mostram criativas. Aos 10 anos esta porcentagem cai para 30%, acima dos 25 anos são apenas 2% das pessoas que demonstram criatividade.

Crianças que crescem em um ambiente que lhes permite e estimula a serem criativas podem ter uma chance muito maior de obterem sucesso e até felicidade. Isso, pois, quando chegarem na vida adolescente, em que terão que criar projetos de vida nas diversas áreas da sua existência, contarão com a percepção treinada e internalizada ao longo dos anos de que a distância entre seus sonhos e suas conquistas depende em boa parte de sua própria atitude.

Na fase das paixões, das oscilações e dos impulsos, contar com um cérebro aberto ao novo, com uma atitude leve e flexível diante da vida e ter formado laços saudáveis com amigos dos mais diversos, pode ser a diferença para uma transição bem sucedida da adolescência para a vida adulta, pois na hora em que se deparar com as decepções, quando os planos infalíveis não derem certo, ou no momento em que precisar ajustar seus desejos aos dados e fatos da realidade, lá estará ela: a criatividade, que é a base essencial da resiliência diante da vida.

Imagine agora em sua mente, enquanto lê estas palavras, a imagem de pessoas empreendedoras, de gente que você admira, profissionais que foram além, criaram algo novo ou se reinventaram. Pense agora nos aplicativos que fazem a sua vida mais fácil, mais leve, melhor. Pense nas empresas, times e equipes de sucesso. Em praticamente todos estes contextos você verá adultos que têm muito daquela mesma atitude das criancinhas de que falamos no começo do nosso artigo. Elas mediram passos, mas não seus sonhos. Elas pensaram fora da caixa. Elas ousaram. Elas criaram, pois se permitiram brincar com as ideias e recriar a realidade. De certo modo podemos dizer que o empreendedor é aquele que “lê” a realidade por novos ângulos e “brinca” com as possibilidades gerando prosperidade.

Quando é que você tem dedicado algum tempo para brincar e criar com seus filhos, com seu cônjuge, consigo mesmo? Nós temos, na prática, a idade que pulsa no coração. Quantos anos você tem, de verdade?

 

Edição 1806

Comentários

Deixe seu comentário


Seu e-mail não será divulgado.

Seu telefone não será divulgado.
 

Artigos

Natural do município paulista de Rio Claro, onde nasceu em 06 de outubro de 1916, o ex-deputado Ulysses Guimarães se vivo fosse, estaria comemorando dia 06 próximo o seu centenário. 

Poucos dias nos separam de mais uma eleição municipal para escolhas de Prefeito e Legisladores. Período de campanha mais curto, mudanças na legislação, recursos reduzidos, ajudas mais controladas.

Nos últimos 40 anos, agronegócio brasileiro passou por uma verdadeira revolução. Saímos de uma condição de importadores de alimentos para uma posição de destaque no fluxo mundial de exportações agrícolas. Tudo isso foi possível graças à inovação, tecnologia e muito trabalho que resultaram na constituição de uma verdadeira agropecuária tropical.

Coxinha gourmet, pastel gourmet e brigadeiro gourmet. A palavra ganhou tanta força no Brasil que tudo o que você possa imaginar ganhou uma variação "gourmetizada". É claro que com tanta "gourmetização", as pessoas acabariam enjoando. Hoje, o que os clientes buscam nos estabelecimentos é que comida de qualidade com preço justo e sem muita frescura.

Originário da freguesia de São Pedro Apóstolo, criada pela Lei Estadual 509 de 25 de abril de 1861 e tendo como sede a Capela de Belchior Baixo, o município de Gaspar cresceu e se desenvolveu ao longo dos seus 82 anos, sob a égide da Igreja Católica Apostólica Romana.

Ficamos estarrecidos, embora não surpresos, ao concluir, no Decomtec (Departamento de Competitividade e Tecnologia da Fiesp), estudo sobre os custos econômicos da corrupção e as propostas para o combate a essa erva daninha. Traçaram-se dois cenários. 

A Comissão Pró-Fórum retornou satisfeita de Florianópolis, depois da reunião que teve na última quinta-feira, com o presidente do Tribunal de Justiça, Desembargador José Antônio Torres Marques e com o seu principal assessor, Dr. Carlos Roberto da Silva. 

Os  índices de sobrepeso e obesidade no mundo estão cada vez mais altos. No Brasil, quase metade da população está acima do peso ideal. Entre as principais razões estão o sedentarismo, os hábitos alimentares incorretos e o estresse. 

O Brasil tem capacidade de gerar 37 milhões de megawatts de energia por meio do biometano, um gás que pode ser obtido a partir da degradação de materiais orgânicos presentes em resíduos que não serão mais utilizados (lixo).